A Separação do Corpo Etérico

Agora vamos falar sobre como sair do corpo material por afrouxamento e separação do corpo etérico. Muitas vezes, isso ocorre inconscientemente e nós percebemos o processo quando ele já está acontecendo.

 

 

O corpo etérico pode ser separado do corpo físico em maneiras diferentes. As maneiras mais importantes são a dissociação (saída passiva) e a saída ativa.

O pré-requisito mais importante para o processo de separação do corpo sutil é o relaxamento profundo – ou um estado extático, muitas vezes ligado com exaustão (como se pode ver em alguns rituais xamânicos ou religiosos). Principalmente, todas as pessoas são capazes de sair do corpo material; assim, a separação acontece espontâneamente muitas vezes. Mas o relaxamento natural antes ou depois do sono é ligado ao cansaço. Por causa disso, a pessoa tem pouca atenção. Ela é mal capaz de manter o estado entre sono e acordar e, muitas vezes, ela vai adormecer logo.

 

Isso explica porque a separação espontânea raramente ocorre na noite, antes de dormir – você está cansado demais nesta hora. Mas ao fim da manhã, ela ocorre muito mais frequentemente. Por exemplo: o fim de semana é especialmente adequado, quando você pode dormir mais e ficar na cama por algum tempo – muitas vezes, a pessoa flutua entre dormir e acordar nessas condições. Se isso acontecer, uma certa atenção remanecerá, porque a pessoa teve descanso suficiente.

Circunstâncias semelhantes ocorrerão quando você fizer uma sesta na tarde. Por isso, EFCs podem acontecer aqui também, dependendo da predisposição individual.

É mais fácil para pessoas jovens entrar num estado de relaxamento profundo do que para pessoas velhas (jovens podem relaxar melhor os músculos e têm pressão arterial mais baixa).

 

Requisitos:

  • relaxamento profundo

  • ficar tempo suficiente no estado entre dormir e acordar

  • atenção suficiente (para evitar sair da transe e cair em sonos e imaginações)

 

Condições favoráveis:

  • pressão arterial baixa

  • estar deitado (especialmente deitado nas costas)

  • atitude expectativa

 

 

1. A Saída Passiva (Dissociação do Corpo Etérico)

 

Estou usando o termo "saída passiva" ou "dissociação", porque essas palavras indicam uma separação gradual do corpo etérico do físico. Durante esse processo, o corpo sutil geralmente flutua para cima. Mas também pode ocorrer que ele flutue para um lado ou até para baixo, através do colchão. Muitas vezes, isso acontece espontâneamente. Você pode experienciar esse tipo de saída passiva durante o sono ou semi-sono, mas em muitos casos, as pessoas não sabem explicar a situação porque falta a informação sobre esse fenómeno.

 

A dissociação do corpo sutil acontece mais ou menos passivamente. Só o relaxamento profundo - um requisito importante para o processo da separação - pode ser induzido ativamente. O único componente ativo na saída passiva é a atenção: observar o processo é nessecário para chamar e manter a atenção durante o processo. Se você perder a atenção, você adormecerá.

 

Um exemplo (por Gauri):

"Quando isso acontecer, eu flutuarei para cima, geralmente, como se eu estiver um balão. No dia no qual isso aconteceu pela primeira vez, eu estava com medo, porque eu cheguei ao teto, mas mesmo assim eu não parei de flutuar para cima. Eu passei pelas paredes como se elas estivessem uma miragem. Pude ver cada fibra dos tijolos, até pude cheirar a argamassa."

 

Segundo inúmeros reportos – e próprias experiências – o double etérico, o qual está formado durante a dissociação, é conectado com o corpo físico por um cordão, chamado o "cordão de prata". Esse cordão de prata pode ser visto nas imagens seguintes. Ele pode ser fixado em partes diferentes do corpo, muitas vezes na testa, nas costas e no peito.

 

Fase 1: o corpo etérico se afrouxa ligeiramente do corpo físico

 

Fase 2: o corpo etérico flutua para cima, conectado com o corpo físico pelo cordão de prata

 

Fase 3: o corpo etérico flutua para cima e cai para baixo repetidamente, balançando em cima do corpo físico. Depois, o corpo etérico se estabiliza e começa a vaguear nos arredores

 

Caraterísticas típicas da saída passiva

O processo da dissociação tem caraterísticas típicas, não só durante o processo, mas também na fase preliminar. Mesmo depois da separação, a experiência é diferente de viagens astrais ou sonhos lúcidos.

 

Sintomas típicos antes da/ durante/ depois da dissociação:

  • flutuar para cima

  • cair para baixo

  • balançar, oscilar

  • às vezes, girar

  • sensação de "vento" (pode acontecer quando o processo muda para uma viagem astral)

  • flutuar ou voar no quarto, ou ficar de pé no quarto

  • visão: cercado de escuridão ou ver o ambiente "real" (como no físico)

  • você pode claramente sentir objetos no quarto (desde que você não possa vê-los)

 

Fases iniciais/ requisitos que causam uma dissociação:

  • espontâneamente: no início da manhã, na cama/ durante uma sesta

  • intencionalmente induzido: por relaxamento profundo/ transe/ auto-hipnose

  • na narcose (anestesia por éter – isso não é mais comum nos dias de hoje)

 

Explicação teosófica

No ocultismo e na teosofia, esse processo é explanado como a seguir: a conexão entre o corpo sutil e o corpo material é afrouxada nesse processo. Esse afrouxamento pode ser causado por ocorrências mecânicas, como vibração e ondulação lenta do corpo etérico.

Durante o processo da dissociação, o corpo etérico se afrouxa do corpo físico apenas uns centímetros até a largura duma mão


Num estado de relaxamento profundo, o corpo fluido flutua para cima verticalmente, muitas vezes com movimentos oscilantes. Depois disso, o corpo fluido pode cair para o corpo físico repetidas vezes e flutuar para cima de novo ("sonhos de cair", ver Símbolos do Corpo Etérico nos Sonhos).

 

Há quatro fases:

  1. afrouxamento fluidal

  2. corpo fluido flutua para cima e cai para baixo (repetidamente)

  3. corpo fluido está balançando

  4. corpo fluido começa a vaguear os arredores

 

Rotação como forma especial

Ocasionalmente, pode acontecer que você possa sentir como voce está flutuando para cima, girando em volta do seu próprio eixo. Esse eixo pode ser localizado em partes diferentes do corpo físico. Geralmente, o eixo fica na cabeça (testa) ou no centro do peito. Também é possível que o eixo fique na barriga (no umbigo).

 

Imagens do livro "Door het Raam" (Pela porta), Sten Oomen


 

Exemplos:

"Entrei no relaxamento profundo, relativamente rápido, e depois eu comecei a descer, cada vez mais baixo; como se eu passasse pelo colchão até chegar o chão. Eu sabia que estava no meu corpo etérico, mesmo que eu estivesse descendo em vez de flutuando para cima (como estava acostumado). E depois, algo aconteceu que eu nunca tinha experienciado antes: eu comecei a girar – a minha cabeça estava o eixo da rotação. Girei pela dez vezes, cada vez mais rápido. Finalmente, parei de girar e me estabilizei. Eu fiquei de pé e comecei a vaguear." (Corra)

 

"Nesse dia, eu senti um pouco doente e estava com febre. Mesmo assim, eu continuei fazer o meu trabalho e não fui para a cama. Depois de algumas horas, eu fui para o dormitório porque tinha que levar uma coisa do armário. Quando eu vi a minha cama, eu senti, subitamente, a minha grande exaustão. Assim, espontaneamente, me deitei na cama. Mas logo que eu tivesse deitado a minha cabeça na almofada, de repente, a minha cabeça estava pressionado para baixo na região da testa. Senti como se alguém tivesse pregado a minha cabeça na almofada. Instantaneamente, eu não pude mais movimentar a minha cabeça. Tudo se dissolveu em escuridão, e agora eu estava girando em sentido horário, para cima. Depois de três ou quatro rotações, eu estava flutuando para cima, com os braços esticados para a frente. Passei por um corredor que era como um tubo escuro e quente. Como se puxado por um ímã gigante, eu estava flutuando para cima. O processo inteiro era muito rápido, mas também muito suave. Eu não tinha tempo de perceber o que estava acontecendo. Mas intuitivamente, eu sabia que isso era uma dissociação. Mesmo assim, a minha excitação era perturbante demais, e infelizmente, o processo foi interrompido. Suavemente, como se carregado por uma maca, eu fui trazido de volta para o corpo físico." (Gauri)

 

"Carregado pelo vento"

É provável que essa sensação dum "fluxo de ar" seja causada pela substância fluidal que está se movimentando na superfície do corpo. O corpo energético é em movimento – como é conhecido de fenómenos de Kundalini – e isso causa a sensação de "vento". Às vezes, uma coisa semelhante é descrevido no "descido do espírito", onde o "vento" está fluindo na superfície do corpo, surgindo do topo da cabeça.

 

"Carregado pelo vento"

 

Um exemplo:

"Eu fiquei consciente quando eu já tinha saido do corpo físico. Agora, estava flutuando em posição deitada, inclinado para a esquerda. Era como se eu fosse carregado pelo vento ou deitado numa maca invisível. Essa experiência é chamada ‘carregado pelo vento’ porque exatamente isso é a sensação: você se sente como se você esteja flutuando altamente no ar, onde os ventos estão fortes. Esse efeito é causado pela matéria fluida, a qual está em movimento. Voltando à experiência: eu já tinha tido essa forma de dissociação por várias vezes, assim eu sabia o que estava acontecendo. Mas desta vez, era um pouco diferente. Alguém, uma mulher, estava lá comigo, mas eu não pude vê-la. Eu somente pude sentir a presença dela. Ela era um guia do mundo do além. ‘Mova os braços para a esquerda, assim vai ficar mais fácil’, ela disse para mim. Assim, eu movi os braços para a esquerda, e de repente eu estava flutuando ainda mais rápido e mais suavemente. Flutuei pela escuridão, mesmo que eu não soubesse aonde eu estava indo. Eu nunca vou saber aonde eu estava flutuando, porque eu perdi a atenção e fiquei inconsciente logo depois disso." (Gauri)

 

Sonhos que são ligados à dissociação inconsciente durante o sono

Se a dissociação (saída passiva) acontecer durante o sono, você não perceberá a separação conscientemente. Mas muitas vezes, você se pode lembrar de certas cenas dos sonhos; cenas que podem ser interpretados claramente como indicadores da separação. No processo da separação, você sente que você se torna mais leve e que você está flutuando para cima. Durante o processo, há um movimento constante para cima e para baixo, e também movimentos oscilantes.

 

Fases da saída passiva e símbolos oníricos relacionados:

  • vibração: é raramente percebido durante o sono

  • sonhos de cair: o corpo fluido flutua para cima por alguns centímetros e cai de volta para o corpo físico (repetidamente), o que pode causar que você desperta repentinamente e com um susto

  • sonhos com elevador: o corpo fluido flutua para cima verticalmente, e depois desliza um pouco de volta para baixo – mas não tão repentinamente e rapidamente como nos sonhos de cair, e também ele não volta completamente para o físico; não há despertar repentino aqui

  • sonhos com balançar/ oscilar: o corpo fluido flutua tão alto que chegou à máxima tensão que o cordão de prata pode suportar; assim o corpo fluido balança para cá e para lá, fixado pelo cordão de prata (como um balão amarrado em algum lugar)

  • sonhos com vento: pode ser ligado à sensação "carregado pelo vento", talvez uma mudança para uma viagem astral

 

Para ler mais sobre esse tema, leia Símbolos do Corpo Etérico nos Sonhos

 

 

2. A Saída Ativa

 

A designação "saída ativa" foi escolhido para esclarecer que esse processo é uma separação intentional e ativa do físico.

Métodos de re relaxamento profundo – baseados na percepção física – são muito úteis para sair do corpo num estado de transe. Simples imaginação e visualisação (como usado na auto-hipnose) não são adequadas. Um método útil para induzir uma saída ativa é, por exemplo, "balançar num barco" (ver Conselhos Práticos). Mas o movimento balançando não deve ser imaginado, como nos métodos de imaginação. A pessoa deve tentar realmente sentir físicamente essa sensação de balançar. Isso aplica a todos os métodos que são adequados para induzir uma saída ativa. A imaginação é apenas um aspeto secundário e menos importante.

 

Segundo as minhas experiências, com os métodos da saída ativa há uma chance maior para uma EFC do que com os métodos da dissociação. Mesmo assim, isso não deve ser generalizado, porque há diferenças individuais consideráveis nessa área.

Mas esses métodos da saída ativa têm uma desvantagem: é necessário mais esforço – por exemplo, você deve se levantar entre as 4 e 5 da manhã – e além disso, a maioria das pessoas tem, com esses métodos, EFCs que somente duram uns minutos. Contudo, pode ser treinado para que as experiências se tornem mais longas. É possível ter viagens astrais longas com esses métodos também.

 

O método da saída ativa exige que você mantenha um equilíbrio difícil entre dormir e acordar. É também necessário treinar a percepção do corpo físico para que esse estado possa ser induzido (por meio de "ouvir para dentro", circulação de energia etc.). A mudança da consciência de um estado para o outro acontece sutilmente e, geralmente, imperceptivelmente. Às vezes, pode ser difícil perceber se a consciência já mudou para o corpo etérico ou não. Acontece fácilmente que você confunda a percepção física com a percepção do corpo etérico – assim, pode ocorrer que você mova o seu corpo físico em vez do corpo etérico. O resultado seria que você imediatamente perder o estado da transe.

 

Outra coisa importante é que você não deve se perder em fantasias e imaginações, porque nesse método de separação, não é a visão que deve ser ativa, mas o "sentido interior do tato". Se você cair em imaginações espontâneas, isso levará a sonhos e finalmente você adormecerá.

 

 Mobilidade

Se o processo consciente da separação ter sucedido, o corpo fluido poderá se mover completamente livremente. Existem todas as fases intermédias entre uma sensação de gravidade física e uma leveza fantástica.

 

 Gravidade, peso

Quando você sair do corpo, poderá acontecer que você se sinta pesado. Isso pode ser chamado "saída densa". Nesse caso, o corpo fluido tem caraterísticas semelhante às do corpo físico – tem um peso, e não é possível voar ou flutuar. Segundo o ocultismo, o peso depende da quantidade de materia fluida (etérica) que aderiu ao corpo sutil durante a separação. No estado etérico, nós estámos, na verdade, no corpo astral. Mas esse corpo astral leva consigo uma parte da matéria fluida, a qual é mais densa do que a matéria astral. Essa matéria mais densa adere ao corpo astral (corpo astral + matéria etérica = "corpo" etérico/ fluido). Dependendo da quantidade da matéria fluida que está aderindo ao corpo astral, a EFC pode ser um fenómeno mais denso e mediúnico, ou um estado astral com elementos oníricos. Isso quer dizer: a transição entre o estado etérico e o estado astral é fluente.

 

 Visão

Nos estados "mais densos", geralmente não há visão quando a experiência começa. Assim, o estado é mais semelhante ao estado semi-acordado e sem imagens no qual você estava antes. Segundo o ocultismo, não existe visão etérica, mas apenas visão física ou astral (porque não existe um plano etérico). Se a consciência ainda não mudou para o corpo astral, os sentidos astrais ainda não estão ativos. O resultado: você se encontra cercado de escuridão, como se você tivesse fechado os olhos. Acontece que, nesse caso, a pessoa não tem a coragem de continuar e andar pela escuridão. Mas é possível nesse estado que você possa sentir os seus arredores por meio duma percepção "interior" do espaço. Esse tipo de percepção pode ser muito preciso. Às vezes, você poderá conseguir ver se você se concentrar na visão, exigindo silenciosamente "Eu quero ver agora" ou "Eu posso ver agora".

 

 Distância máxima do corpo físico

Depois duma certa distância do corpo físico, pode ocorrer que você sinta uma puxada nas costas, impedindo que você continua andando. Isso é causado pelo cordão de prata. Esse cordão somente pode ser percebido se você esteja no estado etérico, mas não no estado astral. No estado do "despertar falso", o cordão de prata também não é percebido (ou apenas muito raramente).

 


"Depois de eu tinha andado a uma distância certa do corpo físico, senti uma puxada nas costas ou na parte posterior da cabeça. Eu não pude dar um só passo, eu fui imediatamente retirado para o meu corpo físico. Às vezes, tentei continuar andando mesmo assim, agarrando o parapeito da janela. Se eu conseguisse superar a tensão, geralmente eu caí num estado semi-onírico e raramente consegui mudar para uma viagem astral." (V.)

 

Em diversos relatos, há informações diferentes em relação à distância máxima do corpo físico. Às vezes, os autores falam sobre uma distância de alguns metros, em outros casos, mais de 50 metros. Para mim, eram cerca de 50 metros. É provável que a distância máxima pode variar, dependendo do estado energético da pessoa. Parece que num estado de vibração áurica alta e mais energetizada, a distância máxima aumenta. Também pode acontecer que a consciência mude completamente para o corpo astral – se isso for o caso, a matéria fluida será retirada para o corpo físico. Nesse caso, o corpo astral poderá se mover livremente a partir daí.

 

Percepção do corpo e do ambiente

No estado etérico, a pessoa pode perceber intensivamente o seu corpo etérico. Por isso, muitas pessoas que experiencam esse estado acreditam num mundo não-físico e transcendente. Mas a percepção total do corpo etérico não é uma prova da existência dum outro mundo. É claro que eu também acredito na transcendência, mas a minha opinião é que as provas para a verdade não podem ser tão fáceis.

 

Separação parcial espontânea do corpo

Quando você estiver muito cansado, muitas vezes acontecerá que você terá a sensação que um "double" da sua mão se moveu – apenas um movimento breve. Isso não tem nada a ver com contrações musculares. É uma coisa muito mais sutil. Em raros casos, num estado cansado, pode ocorrer que você esteja flutuando com o corpo completo – apenas para uma distância curta – e imediatamente acorde de novo depois disso.

 

Mais informação: EFC no Corpo Etérico

 

 

Verificação

Até agora, não há evidência indubitável que os corpos sutis existem. É muito difícil fazer experimentos, porque esses estados de transe não são tão fáceis de reproduzir, não por tantas vezes – especialmente no ambiente estranho dum laboratório do sono. É diferente para os fenómenos das viagens astrais ou sonhos lúcidos, os quais acontecem no sono REM, que pode ser medido. Por meio de impulsos pequenas, que provocam o despertar, um estado consciente pode ser induzido nesse caso.

 

Às vezes, a separação do corpo é interpretada como um acontecimento hipnagógico – mas isso simplifica demais as coisas. A experiência da separação é um estado muito diferente do estado hipnagógico. As pessoas não devem explicar esses fenómenos numa maneira tão simples. Há relatos muito detalhados, e eu recebi muitos e-mails e cartas que claramente sugeriram a separação dum corpo sutil. Também há alguns relatos de pessoas que observaram a separação em outras pessoas, e outros tipos semelhantes de verificação. Seria fácil demais considerar todas essas pessoas como mentirosas, não capaz de pensar e observar criticamente. Eu tive a impressão que elas eram pessoas honestes.

 

 

© Alfred Ballabene (Viena) traduzido por Corra