Nível do Sonho

Nos sonhos, clareza da nossa consciência determina a forma de percepção durante o sonho. Dentro do ser humano, há diferentes partes sutis, e depende da clareza da consciência a qual parte está ativa no sonho. Assim, cada parte sutil do ser humano pode ser origem de conteúdos psíquicos, recordações ou percepções sutis num sonho.

Muitas vezes, as mensagens dos sonhos variam em relação à profundidade e ao processamento. Por isso, a impressão do sonho pode ser de superficial até emocional ou de comoção.

A nossa clareza de consciência nos sonhos varia, dependendo da nossa condição. Também depende da parte da noite na qual estamos. Os sonhos durante as primeiras horas da noite são menos claros e menos coloridos do que os sonhos pela manhãzinha, porque no início da noite, nós estamos muito mais cansados – e assim, a atenção e concentração nessas horas são piores. Mas de manhãzinha, nós estamos mais descansados e assim mais alertas, que nos leva a sonhos mais claros.

Em seguida, uma "escada do nível dos sonhos", com clareza de consciência e profundidade de ordem crescente:

 

 1° Nível mais baixo da percepção dos sonhos ("sem" sonhos)

O mais caraterístico dessa fase é que as pessoas não se lembram de nenhum sonho. Até há pessoas que dizem que nunca têm sonhos. Mas isso não é verdade, como a neurologia comprovou. Também existe a opinião (no esoterismo) que essas pessoas teriam uma vida interior não desenvolvida. Mas isso também é totalmente errado, porque até há pessoas altamente sensíveis e pessoas profundas que não têm sonhos. Qual é a razão dessa falta de sonhos, qual é a razão para que essas pessoas não se lembrem de seus sonhos?

  • Exaustão, fadiga. Quando a pessoa está exausto, as fases mais alertas depois do sono REM são curtas demais para que os sonhos possam ficar na memória de longo prazo. Para que a recordação dos sonhos possa passar para a memória de longo prazo, é necessário uma fase alerta de pelo menos cinco minutos. Adicionalmente, é necessário que a pessoa se concentre um pouco e se lembre dos sonhos durante esses cinco minutos – mas por causa da fadiga, falta a energia para esse esforço.

  • Desinteresse. Uma pessoa que não tem interesse nos sonhos sabe que ela sonhou, mas não se lembra do sonho. Nas fases em que a pessoa está acordada por poucos momentos, ela não pensa neles. Durante o sono, uma pessoa desinteressada não mostra criatividade, mas somente quer dormir. O mechanismo é evidente: os sonhos são desinteressantes e sem cores, porque não há interesse e não há incentivo para a vida interior.

  • Repressão. Nesse caso, a pessoa não quer se lembrar dos sonhos, porque os sonhos poderiam conter coisas indecentes ou proibidas.

  • Medo. Pesadelos repetidos – especialmente durante a infância ou juventude – podem levar ao medo do sono e dos sonhos. Se uma pessoa com esse medo dormisse sem sonhos, isso seria bom na opinião dela, porque assim ela fugiria de pesadelos horríveis.

 

 2° Nível do Sonho (Sonhos ‘cinzentos’, caóticos, sem vivacidade)

Os sonhos são puros fragmentos de ações, contendo recordações do cotidiano, desejos e medos. A pessoa reage instintivamente aos acontecimentos do sonho, sem pensar e sem refletir. É difícil memorizar esses fragmentos do sonho – no melhor dos casos você pode somente lembrar da última cena antes de acordar. De certo modo, esses sonhos se assemelham aos ‘monólogos interiores’ do cotidiano: há um impulso (argumento) e você reage (comentário). A qualidade dos sonhos não é boa: eles são cinzentos e não é possível lembrar-se de nenhuma cor.

 

 3° Nível do Sonho (a linguagem simbólica da psíque é dominante)

Os sonhos são coloridos, vívidos e interessantes. Ao contrário dos sonhos dos níveis anteriores, aqui a personalidade não é representada por um simples esquema de reação, mas por uma complexa estrutura psíquica.

Conteúdos:

  • avaliação da situação atual (em comparação com o passado, com outras pessoas etc.)

  • comentários sobre acontecimentos do cotidiano, mas duma posição ‘superior’: avaliação do caráter, auto-reflexão, sugestões para uma solução dum problema

  • observação de caraterísticos diferentes e a relação deles com outros aspetos da vida (por exemplo religião, amizades, relações pessoais etc.)

  • elogio ou crítica para ações; quem elogia ou critica é uma personificação que aparece como autoridade nos sonhos

  • satisfação de desejos, muitas vezes afirmativamente; assim, tensões psíquicas podem ser reduzidas

Para a criação de sonhos vívidos, coloridos e muito emocionais, é necessário que a pessoa esteja um pouco alerta durante os sonhos, para que a fantasia e a força criativa dela possam ser ativadas. Essa atenção restante durante o sonho está mantida da forma seguinte: os sonhos são interessantes e vívidos → assim cresce o interesse nos sonhos → o interesse aumenta a lucidez (clareza de consciência) e com ela também a qualidade dos sonhos. Análise de sonhos e um diário de sonhos ajudam melhorar a qualidade dos sonhos.

 

 4° Nível do Sonho (ocorrem habilidades ‘mágicas’)

O sonhador percebe – parcialmente inconscientemente, parcialmente conscientemente – as possibilidades especiais dele. Ele usa métodos ‘mágicos’. ‘Mágico’ quer dizer que não seria possível fazer essas coisas no mundo material.

Repetidamente, aparecem lugares e seres fantásticos, mitológicos ou estranhos nos sonhos do 4° nível. Assim, o sonho se torna uma aventura emocionante e a pessoa se lembra do sonho mais facilmente. Quando você estiver num lugar mágico ou estranho no sonho, então não é tão surpreendente que você também pense que possa usar habilidades incomuns ou mágicas. Nesses sonhos, o sonhador usa as habilidades mágicas conscientemente (sem ser forcado instintivamente, mas usando as habilidades intencionalmente) para influenciar o sonho positivamente. Mas a ação é ainda iniciada pelo subconsciente da pessoa.

Exemplo: Num sonho, vê uma serpente. Você voa pelo ar e assim você pode fugir da serpente.

 

 5° Nível do Sonho (Sonhos quase lúcidos – ou, segundo o paradigma das viagens astrais: entrar em esferas transcendentes)

O caráter fantástico e parcialmente absurdo – que é tão típico para o 4° nível – não mais ocorre nos sonhos do 5° nível. Em vez disso, você está num ambiente que é mais ou menos parecido com o mundo material. Você está sujeito a força da gravidade – voar é possível, mas antes disso, você tem que aprender como voar no sonho (às vezes, você se lembra das habilidades ‘mágicas’ que você já tinha aprendido nos sonhos anteriores).

Segundo a opinião do ioga, esse nível do sonho não representa cenarios produzidos pelo cérebro, mas em vez disso, o ioga acredita que nesse estado você já está se movimentando no corpo astral, em planos astrais perto do mundo material ("Plano dos Sonhadores"). O estado da consciência pode ser muito diferente (de quase inconsciência até consciência total) e também podem ocorrer interferências de elementos dos sonhos normais (viagem astral com interferência onírica).

 

 6° Nível do Sonho (Sonhos Lúcidos/ Viagens Astrais)

Viagem Astral: esse estado é muito parecido com o nível anterior, mas o aspeto importante é que a pessoa está totalmente consciente do que está acontecendo (consciência normal como no cotidiano). A pessoa sabe que o corpo material dela está na cama, e se houver um perigo, a pessoa pode regressar ao corpo em qualquer momento. Nesse nível do sonho, não há mais ações e acontecimentos que são controlados pelo subconsciente. Em vez disso, você se encontra num ambiente desconhecido e você tem que decidir o que fazer e aonde ir – não tem ações automáticas ditadas pelo subconsciente. Nesse nível do sonho, experimentos são possíveis. Você poderia falar com outras pessoas, poderia ir aonde quiser, você até poderia simplesmente se sentar para meditar.

A vantagem desse tipo de "sonho" é óbvia: à noite, a pessoa pode ganhar experiências totalmente novas e pode visitar lugares estranhos e maravilhosos. Pode ser até um tipo de férias gratis. Mas além disso, a vida da pessoa ganha um sentido mais profundo. A pessoa tem experiência com a transcendência e até encontra amigos antigos no mundo do além, com os quais a pessoa tem uma ligação profunda.

Sonho Lúcido: um sonho lúcido acontece "na cabeça" da pessoa, e assim, é diferente da viagem astral. O sonho lúcido é um tipo de filme interior que a pessoa cria como divertimento, e ela pode construir e influenciar esse sonho completamente livre. Mas isso é a única diferença entre a viagem astral e o sonho lúcido. Aplicam-se muitos critérios da viagem astral ao sonho lúcido – e isso complica muito a distinção entre os dois estados.

 

Sinopse: sonhos e o nível deles

A tabela seguida mostra os aspetos mais importantes entre um estado inconsciente e um estado lúcido no sonho. Todas as variantes entre os dois são possíveis – há uma transição fluente.

 

Inconsciente

Consciente (lúcido)

cérebro: pouca atividade do lobo frontal

lobo frontal ativo

(O lobo frontal é responsível pelo pensamento abstrato e o planejamento de ações. Os comentários sobre a atividade do lobo frontal são suposições lógicas.)

não muito vívido

muito vívido

mudança de cenário muito rápida

continuação lógica das ações

é difícil memorizar os acontecimentos

ação bem memorável

cenário ilógico ou "repetição" do cotidiano

ambiente e ação numa forma lógica

cenário "cinzento"

cores brilhantes

emoções como no cotidiano/ medos

muito emocional até eufórico

linhas de pensamento na forma de comentários

pensamento lógico, reflexão

ser forçado à ações determinadas

observar e examinar atentamente

um aspeto da personalidade domina, aparência e comportamento diferente do normal

personalidade auto-reflexiva

estar preso no sonho

você pode cancelar o sonho em qualquer momento

a percepção é direcionada para o interior, você percebe mais os efeitos que o cenário tem em "si mesmo"

a percepção é direcionada para o exterior (para os acontecimentos)

você não pode controlar os sonhos quando você adormece novamente

você pode continuar os sonhos na próxima fase de sono

 

© Alfred Ballabene (Viena) traduzido por Corra