O Caminho

Enquanto veículos são símbolos para as possibilidades dentro de nós que nos permitem o progresso, o caminho simboliza a situação exterior pela qual nós estamos andando. O caminho como perspetiva futura ou como situação atual pode conter aspetos vitais e também aspetos de solução (interior e exterior) de problemas.

Cada caminho (respetivamente caminho simbolizado) não é somente uma expressão de soluções possíveis, mas também é inseparavelmente ligado ao destino do caminho. Muitas vezes, o sonho pode ser um tipo de área para fazer experimentos – para que soluções diferentes possam ser experimentadas. O caminho também pode representar uma retrospetiva, como símbolo para o caminho que foi percorrido no passado. Além disso, o caminho pode ser um símbolo de limiar, uma transição entre duas áreas de consciência.

Em relação à condição do caminho, a interpretação não é tão difícil muitas vezes – pois esses símbolos até existem em nossa linguagem do cotidiano. Uma pessoa pode estar no caminho errado, num caminho já caminhado, num caminho difícil, pode se sempre andar o caminho mais curto etc. Para fazer uma interpretação esclarecedora que leva a um reconhecimento, todos os pormenores tem que ser levados em consideração – por exemplo a direção, trajetória, aparência, condição etc. E também é importante como o destino aparece no sonho: pode ser ocultado, completamente desconhecido, ou muito perto. Obstáculos no caminho são adversidades na resolução de problemas, dificuldades físicas etc.

Caraterísticas do caminho

  • caminho na água/ no ar: ver Os quatro Elementos

  • caminho na terra: isso é a nossa maneira de locomoção normal, por isso não tem simbologia adicional

  • curvado: as perspetivas não são certas/ simples

  • caminho estreito (percurso equestre): um caminho não muito frequentado, não muito aparente

  • caminho largo: caminho consciente e fácil

  • inclinação: pode simbolizar a) um caminho difícil ou b) um caminho que leva a uma elevação da consciência

  • caminho para baixo: descida para zonas mais profundas da consciência

  • morro acima, morro abaixo: em sentido de: a situação muda, está oscilando

  • impasse: pode simbolizar a) esforçar-se em vão, b) chegar aos limites, c) ficar preso numa situação

  • caminho murado: caminho sem possibilidades de sair/ desviar, sem possibilidade de olhar ao seu redor para reconhecer alternativas

  • caminho num barranco: semelhante ao caminho murado, mas mais intensivo (apertado, sem liberdade, entalado)

  • rio: é diferente da estrada; o rio simboliza mais as forças motrizes. Também representa um caminho no qual as emoções estão mais em foco. O correr da água representa a transformação constante e também o passar do tempo. A fonte é a origem, e o mar representa o destino da evolução (destino dos acontecimentos, da vida etc.)

    rio acima (em direção à fonte): voltar ao passado/ retrospetiva

    rio abaixo: previsão do futuro

    fluir no mar: fim da vida

  • caminho pedregoso: obstáculos, problemas

  • partes do caminho são lavadas pela água: emoções impedem a progressão

  • fissura abre na terra: intrusão do subconsciente

  • coberto de plantas: correr perigo de se perder no caos do subconsciente

  • pântano: perigo que a progressão pode ser influenciada pelas forças inconscientes (incontroladas). Pode representar instintos que estão em conflito com outros desejos, com a razão etc.

  • ponte: atravessar o limiar para uma outra área (ver: Símbolos de Limiar)

    ponte de pedra: caminho firme, sólido (o aspeto terreno é acentuado aqui)

    ponte de corda: o aspeto do ar é acentuado. Há perigos, porque esse caminho fica demasiadamente fora da terra.

  • túnel: caminho que percorre no inconsciente/ leva para o inconsciente

A ascensão interior como símbolo onírico

O caminho espiritual como caminhada nas montanhas:

"Estava numa cabana que servia como ponto de partida para caminhantes nas montanhas. Dayanand estava lá também e quis fazer um tour com um companheiro que eu não pude ver. Eu também quis fazer um tour, mas porque Dayanand não me tinha convidado, eu quis partir sozinho. Surya era o meu companheiro fiel. Ele concordou com todos os tours os quais eu sugeri, e ele também aceitou que eu quisesse fazer um passeio moderado. Em seguida, eu escolhi um pulôver e um gorro na cabana e os pus na mochila, como roupa de reserva caso o tempo estivesse frio. Havia uma mulher na cabana, ela me ajudou com a minha escolha de roupa para o tour. Eu procurei um mapa de trilhos, mas não encontrei. Por isso, quis levar um mapa de estradas em lugar do mapa de trilhas, mas Surya disse que no mapa de estradas se pode encontrar somente as estradas, mas não as trilhas de montanhas. Quando eu quis partir e pagar, a mulher da cabana estava nos quartos privados dela, talvez fosse para descansar. Por isso, eu pus o meu dinheiro numa tigela perto da saída – o dinheiro se transformou em símbolos diferentes. Durante todo o tempo, Surya sempre me acompanhava. Assim, Surya e eu partimos. Interessantemente, Dayanand também nos acompanhou."

Interpretação: Surya disse que no mapa de estradas não se pode encontrar as trilhas, somente as estradas. Isso significa que o ioga – pelo menos o ioga que eu faço – não é um caminho amplo e que é difícil subir (ascender) e achar o caminho. (V.)


A escada vítrea

"Na penúltima noite, estava numa escada que aparentemente era feita de vidro. Também é possível que fosse um tipo de cristal, mas pensando bem, eu pude sentir que a vibração era mais a de vidro. A escada era linda e a luz áurea do sol brilhava em cada degrau vítreo. Além disso, os degraus também tinham cores belíssimas. Mas os degraus eram tão lisos que eu tive que subir usando tudo com dificuldades. Usei as mãos como suporte, para que eu não deslizasse. Não havia corrimões, por isso eu tentei progredir dessa maneira." (P.)


Bifurcação, cruzamento do caminho:

Bifurcação:

a) momento crucial entre desejos ou destinos diferentes

b) a necessidade de tomar deçisão

c) momento decisivo na vida

Pode ser que o caminho à direita e o caminho à esquerda não são iguais: à esquerda pode representar as emoções, à direita o raciocínio. O futuro vai ser diferente, dependendo do qual caminho a pessoa escolha – o caminho das emoções ou o caminho do raciocínio. Por isso, é interessante quais serão as perspetivas futuras o caminho mostra no sonho.


Cruzamento:

A encruzilhada é um ponto mágico de encontro, a bifurcação é um ponto mágico de decisão. Isso não só aplica aos sonhos, mas também pode ser encontrado em relatórios de pessoas que visitaram o mundo além ou de videntes.

Aqui um relatório de uma pessoa que pode ver espíritos:

"Na noite de São Silvestre, 1941/ 42, ela caminhou no Harz [serra na Alemanha], numa paisagem coberta de neve. Numa floresta de pinheiros, ela chegou a um ponto onde três trilhas diferentes se encontravam. De um desses caminhos nublados, ela pôde ver uma procissão infinita de soldados – todos eles desapareciam na névoa de novo. Ela percebeu que não tinha pegadas na neve. Os soldados usavam capacetes de aço, mas não tinham armas. Era possível reconhecer os patentes e as cores deles. A maior parte deles não tinha rosto. O rosto deles parecia como névoa. Mas alguns poucos – aqueles que ela conhecia – podiam ser vistos. Alguns deles já tinham sido mortos na guerra, também outros que ainda não tinham sido mortos até então – mas que morreram logo depois (uns meses mais tarde) – e além outros que ainda não tinham sido recrutados naquele tempo, mas no momento estavam sendo recrutados. A procissão era infinita. Ela pôde observá-la durante mais de uma hora."

(Karl Schmeing, "Seher und Seherglaube", Themis Verlag, Darmstadt, 1954, p. 40. Não tem versão portuguesa)

 

© Alfred Ballabene (Viena) traduzido por Corra