Os quatro Elementos

Os quatro Elementos

Um aspeto decisivo para a simbologia dos elementos é a transparência deles – quer dizer, se é possível olhar através do elemento respetivo. O peso também é importante – o maior peso é atribuido à terra e ao que está abaixo dela. Esses dois aspetos (transparência = intensidade da luz; peso = acima/ abaixo) são características da simbologia da vertical. Quando coisas pesadas se tornam transparentes mesmo assim (p. ex. cristal de rocha) significa que um aspeto "terreno" (inconsciente) foi conscientalizado e integrado na personalidade da pessoa.

Os elementos podem aparecer em formas diferentes, assim surge uma simbologia complicada.


I. Terra

A terra é a área do inconsciente e também a origem de todas as coisas corporais. Aqui é o berço de todas as coisas visíveis em volta de nós – sejam coisas vivas ou somente materiais.

Quanto mais nós penetramos a terra, mais profundas áreas do inconsciente vamos encontrar. Tudo que é embutido na terra (= o inconsciente) está num estado rígido é imutável – isso também é aplicável aos conteúdos psíquicos, que somente podem ser formados e integrados quando são revelados à luz. Isso significa que somente o consciente é capaz de formar e mudar conteúdos psíquicos. Assim, o instinto que está imutável há milhões de anos está purificado e refinado (socializado).

Na terra também fica tudo do nosso passado que encontramos num estado de rigidez (p. ex. conteúdos recalcados do passado).

"A paisagem parece muito natural. Nós avançamos para o Nordeste, ao longo de um rio, na direção da fonte. À nossa esquerda sobressai, da rocha desgastada pelo clima, uma pedra esculpida antiga – semelhante às da Ilha de Páscoa. Os traços dela são rígidos mas sublimes. A forma dela parece mais rotunda é mais natural do que as estátuas da Ilha de Páscoa. Nós ouvimos que há um instrumento que pode detectar o passado que está sob a terra. Adquirimos esse instrumento e o ajustamos num alcance de 9 metros. De 4 a 6 metros dentro do solo, achamos hieróglifos na argila." (T.)

Símbolos distintos da terra

  • rocha: área rigida/ solidificada, pode ser entendido como origem das coisas

  • pedra: a forma mais sólida e mais durável da terra

  • húmus: a camada superficial do inconsciente, que já está no processo de conscientalização. Os aspetos dinámicos (aspetos emocionais) são representados por animais que são associados à terra (por exemplo serpente).

  • terraplanagem: escavar conteúdos do subconsciente (em sentido de conscientalização)

  • escavações arqueológicas: processamento de experiências passadas decisivas

  • cavar um tesouro: processo de reconhecimento, acontecimentos antigas são integradas e assim enriquecem a nossa experiência de vida

  • descoberta de túmulos: lembrar experiências e emoções quase esquecidas, assim esses conteúdos são reanimados

  • enterrar uma coisa: recalcar um conteúdo psíquico. Também é possível "enterrar" um conflito – isso não é uma solução verdadeira, mas uma resolução temporária do conflito (agudo se torna latente).

  • caverna: quando a terra rompe, uma cavidade está formada. Essa cavidade ainda está na escuridão, mas já é acessível – o conteúdo que ainda está enraizado no subconsciente entra em estado de conscientalização. Cavernas e grutas são estruturas da natureza e simbolizam aspetos instintivos que são integrados pela conscientalização. O regresso a estas forças básicas aumenta e fortalece a vitalidade da pessoa. Assim, uma caverna natural simboliza a ligação com a origem da vida – por isso, cavernas sempre tinham e ainda têm grande importância em cultos e religiões diferentes.

  • porão, sepulcro, cripta: cavidades criadas pelo ser humano. Nelas, podemos encontrar elementos que simbolizam experiências passadas ainda não processadas. Essas experiências do passado ainda precisam de clarificação e integração.

  • fossilizações: elementos emocionais que ainda estão fixados no subconsciente, mas que estão prestes a ser processados (por isso eles se tornam visíveis).

Cristais

Cristais são "terra iluminada". Terra simboliza o corporal. Muitas vezes, cristais são símbolos de energias áuricas concentradas e são atribuidos a chacras diferentes (de acordo com a cor deles).

"Eles me entregaram um cartucho feito de cristal de rocha, com escrita egípcia. Eu o coloquei no meu Anahata chacra." (V.)


II. Água

Água tem vários significados básicos (mas sem estar em contradição).

  • Na escala de "escuro/ claro" (inconsciente – consciente – superconsciente), a posição da água fica entre a terra e o ar.
  • A qualidade da água é menos rígida do que da terra (quer dizer que os conteúdos são menos rígidos).
  • Como elemento, água é atribuida às emoções.
  • Energéticamente, água é atribuida à polaridade Yin (ver acupunctura). Nos sonhos, os meridianos respectivos são simbolizados com canos de água, tubos de drenagem, ribeiros e rios. Um excesso de Yin se mostra como ruptura de cano, inundações etc.

No caminho de espiritualização, água já é menos densa do que a terra – isso quer dizer que a água é um elemento que esconde menos do que a terra, mas mais do que o ar. No aspeto de limpeza, água pode ser turva (ou lamacenta) até absolutamente clara; assim, na simbologia, é possível identificar o estado de conscientalização: transparente = compreensível (quanto mais avançado no processo de conscientalização, mais clara vai ser a água). A profundidade da água expressa a profundidade do conteúdo psíquico no inconsciente ou semiconsciente. Durante o processo da conscientalização, muitas vezes ocorrem sonhos que contêm mergulhos profundos na água.

Símbolos distintos da água

  • profundezas do mar: área do inconsciente

"Com o meu irmão fui para Espanha. No mar, na profundidade de 3000 metros, descobrimos livros antigos. Diz-se que eles datam da época da Biblioteca de Alexandria. Todos os livros foram sinterizados por manganês ou magnésio, assim são completamente preservados. Nós tentamos resgatá-los (= "bergen", não estou certa com essa palavra). Usamos um farol ofuscante para iluminar o local. Um aspirador submarino é usado para trazer os livros à superfície. Mas por causa da luz ofuscante já surgem algas que poderiam possivelmente danificar os livros. Nós devemos fazer uma coisa para salvar os livros." (T.)

  • ondas: indicam movimento (estimulação)

  • ondas altas: emoções agitadas

  • enchente relâmpago: emoções inundam a pessoa

  • turvação:

    opaco = se não pode reconhecer (pouco consciente)

    sujo = emoções em conflito com a moral

  • rio:

    no significado temporal: rio da vida; retrospetiva ou extrapolação do futuro como perspetiva possível da situação atual (também ver: símbolos do caminho). É característico para esses sonhos que o que tem prioridade não é a água mas o cenário e a paisagem que estão percorridos.

    "Estou num avião. Posso ver um rio embaixo. Vejo morros, montanhas, vales e muitos afluentes. Uns desses afluentes se cruzam com o rio. A impressão da água azul-prata é muito vívida e eu sei que o rio simboliza a minha vida, que é enriquecido pelos encontros. Cada reunião com um outro rio é um encontro. Às vezes posso ver também que um dos afluentes sai do rio. (Eu era muito deprimido quando adormeci. Pensava que a minha vida tem um futuro incerto, sem sentido e sem destino. Pensava que eu não tivesse a força e o poder para controlar a minha vida. Quando acordei desse sonho, sabia que o rio persegue o seu caminho imparávelmente, em direção de seu destino. A imagem do rio era linda e está enraizada na memória. O sonho era o fim duma crise que durou meses. Até hoje posso sentir que a recordação desse sonho me dá força." (E.)

no significado de movimentação e dinâmica: água como Yin ou energia principal (água da vida) correndo pelo corpo, o estimulando.

no significado emocional: rio das emoções. Aqui é importante a quantidade da água (muita ou pouca) e a dinâmica dela (correndo velozmente ou lentamente).

Nos últimos dois casos (simbologia dinâmica/ emocional), a água tem a maior importância e é um elemento que influencia o ambiente dele decisivamente – p. ex. inundações, irrigação, seca.

  • fonte: água da vida (revigorante) que vem da origem (o inconsciente/ subconsciente)

  • chafariz: um processo muito dinâmico (emocional) das profundidades do subconsciente

  • chuva: vem dos céus – isso significa que a água da vida (emoções) está vitalizada pelo espírito (ar, alturas); e renovada assim, volta para a terra numa chuva revigorante, trazendo fertilidade. Nos sonhos, ela simboliza uma forma de transformação e renovação.

  • trovoada: na trovoada, a chuva se reune com tempestade e relâmpago. A chuva, como água, é associada com as emoções, mas a tempestade é um símbolo duma agitação intensiva na mente. O relâmpago representa uma intrusão da esfera intuitiva – um tipo de reconhecimento, iluminação – com o perigo de destruir a ordem velha dentro da pessoa. Assim, a trovoada é uma expressão duma agitação emocional veemente, um tumulto espiritual.

  • névoa: símbolo de encobrimento/ ocultação. Pode representar que o consciente não pode identificar as coisas por causa de uma ocultação. Mas a névoa também pode ser um símbolo de limiar – a área atrás da névoa (uma esfera de consciência como inconsciente, consciente, submundo, mundo além) não está visível, mas quando a pessoa ousa atravessar a névoa (ocultação) ela pode entrar nessa área desconhecida.

  • neve, gelo: quando olhamos neve e gelo num sonho em branco radiante, isso provávelmente simboliza energia de Yin que foi espiritualizada (luz do Ajna Chacra). Mas quando neve e gelo são sem brilho e luminosidade, eles representam frieza de emoções ou rigidez de emoções – em relação à nossa frieza ou de outras pessoas. É difícil distinguir falta de emoção de emoções reprimidas. As duas podem ser representadas pela neve, porque neve não somente é fria mas também pode cobrir coisas. Esse encobrimento (repressão) pode ser uma consequência de estresses e tensões psíquicas e emocionais e uma consequência dum estilo de vida em que o ambiente da pessoa não permite desenvolvimento pessoal. Para mim, por exemplo, sonhos são típicos nos quais eu estou no orfanato (na minha juventude vivi uns anos num orfanato) ou na empresa do meu pai (ele era tirano comigo e com outras pessoas). Nesses sonhos, eu estou caminhando pela neve com muita dificuldade, mal capaz de progredir (um símbolo para o crescimento pessoal impedido naqueles dias). Naturalmente, a neve/ o gelo também pode ser um simples efeito do cotidiano quando você p. ex. caminhava pela neve no dia anterior (isso aplica a todos os símbolos, mas é útil mencionar às vezes, pois, no entusiasmo da interpretação, as pessoas têm a tendência de esquecer isso).

  • deserto: por causa da falta de água, o deserto pode simbolizar falta de emoções. Mas o deserto também pode ser um símbolo de um calor que seca tudo – isso seja um excesso de energia de Yang (essa interpretação energética da simbologia onírica é muito importante em relação a meditação e exercícios energéticos – e quando uma pessoa faz exercícios como tais, uma simbologia energética aparece mais frequentemente do que normal)

  • rio seco/ reservatório seco: um rio seco representa escassez de água por causa de falta de afluxo – isso seja falta de energia (e não excesso de calor, como no deserto). A falta de energia pode significar falta de libido/ energia sexual ou falta de força vital.

  • tirar um tesouro do mar: muitas vezes ocorre em caso de psicanálise, quando o método analítico chega às profundidades da psíque e se aproxima a uma solução para o problema interior (também ver "profundezas do mar").


III. Ar

Em primeiro lugar, se poderia acreditar que o elemento do ar raramente aparece nos sonhos. Mas na verdade, toda a nossa área de vida está cercada pelo ar. Mesmo que nós não possamos voar como as aves, estamos cercados de ar e o respiramos. Assim, o ar pertence ao nosso habitat e a nossa área de consciência normal.

As aves são seres que se levantam da nossa área de vida (superfície) e pertencem a uma área entre o cósmico e a nossa área – respetivamente, elas são mediadores entre as duas áreas (p. ex. um homem com asas – um anjo – é um representante da esfera celeste). Ar como elemento é um símbolo do pensamento e da mente.

Símbolos distintos do ar

  • vento: o vento tem uma dinâmica e é um símbolo para um movimento mental, às vezes um movimento intensivo. Ideias antigas são questionadas, coisas novas entram nos acontecimentos dentro da pessoa. Seria bom que a pessoa estivesse estável naquele momento e mantesse o equilíbrio interior. Quando estamos num barco que vira, isso é uma advertência duma perda de equilíbrio interior. É uma advertência, porque uma perda de equilíbrio real se manifesta em sonhos caóticos e ameaçadores com emotividade intensiva.

  • avião:

    → aviões como aspetos técnicos representam ideias e desejos (são construções mentais). Pode ser que essas ideias e esses desejos não sejam muito realistas (estão longe da terra). Muitas vezes, vão acontecer acidentes aéreos. Assim vai ser simbolizada o incumprimento dessas ideias (desejos ou ideias foram "destruidos").

    → aviões como meios de transporte têm um significado diferente: simbolizavam a locomoção rápida de um lugar (área de consciência) para um outro. Como tais, os aviões também podem ser símbolos de limiar e nesse caso representam a transição de um estado para um outro (p. ex. antes de acordar: a transição do sono para a consciência acordada).

    → ataques de um avião hostil/ com bombardeamento. Esses são ataques mentais direcionados a nós (por exemplo insultos, falar mal da pessoa etc.).

  • arco-íris: ligação entre os céus (luz) e o mundo, e entre o ar e a água. Nessa união harmoniosa de todos os elementos, o arco-íris é um símbolo de integridade e aperfeiçoamento (muitas vezes um anúncio de aperfeiçoamento). Pode ser também em relação a aspetos ou conteúdos distintos.

  • pena: símbolo parcial que é ligado às aves


IV. Fogo/ Luz

Na alquimia, o fogo era o quarto elemento. Era um elemento especial, porque com o fogo o alquimista podia trabalhar, podia acendê-lo e usá-lo para iniciar vários processos. Mas o princípio cóscmico sempre era – também na alquimia – a luz, simbolizada pelo sol, pela lua e pelas estrelas.

Nos sonhos comuns, os princípios cósmicos supremos raramente aparecem (sonhos vivos do sol e da lua). Às vezes ocorrem como consequência de meditações ou visualização da luz. Geralmente, sonhos com sol são acompanhados duma emotividade eufórica, e muitas vezes eles são sonhos lúcidos também.

Quando o fogo não aparece como símbolo ameaçador de calor, pode ser associado à luz. No fogo, coisas pesadas e largadas (= impuras) são transformadas em luz e ar – isso quer dizer, esses conteúdos são conscientalizados e integrados na personalidade como experiências valiosas.


 

© Alfred Ballabene (Viena) traduzido por Corra